O 13 de julho foi escolhido para receber o Dia Mundial do Rock porque nesse dia, em 1985, foi realizado o Live Aid, um dos maiores festivais de rock da história. Esse festival foi idealizado pelo músico Midge Ure, que fez parte de bandas como Thin Lizzy, e por Bob Geldof, que era vocalista da Boomtown Rats.

Esse foi um evento voltado para promover ajuda humanitária, arrecadando fundos para socorrer as pessoas que sofriam com a fome na Etiópia. Esse país africano sofreu uma grave crise de alimentos entre 1983 e 1985, causada por uma guerra civil, e estima-se que até 1,2 milhão de pessoas possam ter morrido de fome e que outras milhares tenham se refugiado nos países vizinhos.

O Live Aid foi idealizado para receber grandes bandas de rock da década de 1980 e foi realizado simultaneamente em duas cidades: Filadélfia, nos Estados Unidos, e Londres, na Inglaterra. Os locais que receberam os shows foram o Estádio JFK e o Estádio Wembley, respectivamente. Estima-se que dois bilhões de pessoas acompanharam os shows em 150 países.

O show em Londres contou com a participação de Sting, Phil Collins, U2, Dire Straits, Queen, David Bowie, The Who, Elton John, Paul McCartney etc. Já na Filadélfia, o show contou com a participação de Billy Ocean, Black Sabbath, Judas Priest, Neil Young, Led Zeppelin, Duran Duran, Mick Jagger, Madonna etc.

Durante o Live Aid, Phil Collins tocou em Londres e, logo em seguida, embarcou em um avião rumo à Filadélfia, e também tocou na cidade norte-americana, sendo o único do evento a comparecer aos dois continentes. Durante o Live Aid, o músico manifestou o desejo de transformar o dia 13 de julho em uma data para comemorar-se internacionalmente o rock. Como podemos perceber, isso aconteceu somente no Brasil.

Fonte: Brasil Escola